Coronavírus: F1 e Formula E na China terão corridas adiadas

Depois de causar o cancelamento do MWC 2020, o surto do coronavírustambém afetou eventos esportivos que ocorreriam no país asiático nas próximas semanas, como o Grande Prêmio da China de Fórmula E e a etapa chinesa da Fórmula 1, programados para os meses de março e abril, respectivamente.

No caso da Fórmula E, a prova envolvendo os carros elétricos aconteceria na cidade de Sanya, no dia 21 de março. Mas com a propagação da doença, os organizadores resolveram solicitar o adiamento do evento, que ainda não tem uma nova data para acontecer.

Leia mais...






Links para esta postagem           Envie por E-mail  

Ligação do seu próprio número? Procon-SP alerta sobre nova fraude

O Procon de São Paulo divulgou um alerta sobre um novo tipo de golpe que tem como alvo os usuários de telefones celulares, cujo objetivo é clonar o aparelho para roubar dados, senhas, informações bancárias e números de contatos do proprietário da linha.

Segundo o diretor executivo do Procon-SP Fernando Capez, a nova fraude tem uma mecânica de funcionamento bem simples. O telefone toca e, aparentemente, a ligação parece ser originada do próprio número do usuário. Ao atender a chamada, o dono do celular pode ter o aparelho clonado em apenas 10 segundos.

Leia mais...






Links para esta postagem           Envie por E-mail  

A lista dos 10 filmes mais pirateados da semana (18/02/2020)

Com a febre do Oscar 2020 indo embora, Frozen 2 ganhou o título de filme mais pirateado da semana pela segunda vez consecutiva. De acordo com dados do Torrent Freak, a animação da Disney foi o longa-metragem mais procurado ilegalmente nas duas últimas semanas de fevereiro, tomando o lugar de Ford v Ferrari.

A segunda colocação na lista de filmes mais pirateados da semana ficou com Entre Facas e Segregos, antigo detentor da terceira colocação. Além de ter aparecido no Oscar como um dos indicados da categoria de melhor roteiro original, a produção do diretor Rian Johnson já teve uma sequência confirmada. O novo longa seguirá novamente uma pegada investigativa e o detetive Benoit Blanc, interpretado por Daniel Craig, já foi confirmado como protagonista.

Leia mais...






Links para esta postagem           Envie por E-mail  

Caixa agora permite saque digital do FGTS pelo app

Nesta segunda-feira (17), a Caixa Econômica Federal passou a permitir que o FGTS seja retirado digitalmente, tornando o procedimento menos burocrático e mais rápido. 

A partir da última atualização do aplicativo do FGTS, os trabalhadores têm acesso à nova opção de Saque do FGTS digital. O app é gratuito e sua atualização já está disponível para Android. Nos próximos dias, será lançada a versão para iOS. 

Leia mais...






Links para esta postagem           Envie por E-mail  

Amazing Stories: reboot da série clássica ganha trailer

O Apple TV+ divulgou o trailer de Amazing Stories, nova produção do streaming que apresenta uma antologia de histórias fantásticas e de aventura. A produção é um reboot do programa clássico de Steven Spielberg, que foi ao ar entre 1985 e 1987. Confira.

Leia mais...






Links para esta postagem           Envie por E-mail  

'Tem mais assassinatos no Brasil por mês do que mortes por coronavírus no mundo', diz brasileiro que decidiu ficar na China


O professor de judô Rodrigo Duarte vive desde 2016 em Wuhan, epicentro do surto do coronavírus, mas apesar disso, ele preferiu não fazer parte da operação de resgate de brasileiros que estavam na cidade. Rodrigo Duarte preferiu ficar em Wuhan, epicentro do surto de coronavírus Arquivo Pessoal Há vários dias, Rodrigo Duarte não tem contato com mais ninguém além de sua namorada, com quem está confinado no apartamento onde moram em Wuhan, na China, por causa do surto do novo coronavírus. Desde 31 de dezembro, quando o país notificou à Organização Mundial da Saúde (OMS) que um vírus até então desconhecido estava se espalhando, foram registrados 73 mil casos em 26 países – nenhum deles na América Latina, com um total de 1.874 mortes, a grande maioria, na província de Hubei, onde fica Wuhan. No final de janeiro, toda a cidade de Wuhan, que é considerada epicentro do surto, foi colocada em quarentena pelo governo chinês na tentativa de conter a disseminação do Covid-19, como foi batizado oficialmente o novo coronavírus. Desde então, Rodrigo só vê outras pessoas pela janela de casa — normalmente, elas também estão em seus apartamentos, esperando a epidemia passar. "A cidade está deserta. Só os profissionais de segurança e de saúde circulam pelas ruas", diz o brasileiro de 28 anos. Coronavírus: sintomas, risco no Brasil e tudo o que se sabe até agora Comida, máscaras e todo tipo de álcool Rodrigo vive em Wuhan desde 2016. Ele era professor de judô em Natal, no Rio Grande do Norte, e soube por dois alunos que havia poucos lugares que ensinavam esta arte marcial em uma cidade de 11 milhões de habitantes. Depois de passar um mês conhecendo Wuhan, em 2015, ele gostou do que viu. Mudou-se para lá no ano seguinte e abriu uma academia. Ele conta que as primeiras informações sobre o novo vírus chegaram quando a cidade estava em clima de festa, na semana entre o Natal e o Ano Novo. Rodrigo se recorda de estar dirigindo quando sua namorada viu a notícia pelo celular. Ela se lembrou da epidemia da Síndrome Respiratória Grave (Sars, na sigla em inglês), que também começou na China e afetou quase 8,1 mil pessoas em 29 países entre 2002 e 2003, causando a morte de mais de 800 pessoas. "Meu Deus, será que vai ser a mesma coisa?", ela comentou na hora. Criança usando uma máscara usa um scooter em Pequim, na China, nesta terça-feira (18). Tingshu Wang/Reuters O casal decidiu se prevenir e comprou "muitas máscaras e tudo que é tipo de álcool". "A vida continuou normal. Não havia pânico nem alarde. A gente usava máscara quando saía, mas nem metade das pessoas fazia isso. Ninguém sabia que seria algo em grande escala e tomaria essa proporção", conta ele. Mas o número de casos confirmados começou a crescer rapidamente, e o governo chinês tomou medidas cada vez mais restritivas até anunciar a quarentena de Wuhan. "Não posso falar que foi algo tranquilo, mas foi algo progressivo, passo a passo", diz Rodrigo. 'Coisas piores já aconteceram' Nesta época, diante da incerteza de como seria viver na cidade dali em diante, estrangeiros que moram em Wuhan entraram em contato com suas embaixadas para voltar aos seus países e aguardar por lá até que a situação na China melhorasse. Em 9 de feveireiro, 34 cidadãos brasileiros que estavam na cidade foram trazidos de volta e, agora, estão em quarentena em uma base militar em Anápolis, em Goiás. Mas Rodrigo preferiu permanecer. Pesou na sua decisão o fato de já estar estabelecido na cidade e ter se preparado para ficar isolado em casa por um longo tempo. "Minha namorada é de Wuhan e me ajudou a entender o que estava acontecendo, a não entrar em pânico e a resolver o que era necessário para conseguir ficar. Pensei no que já havia investido para isso e nos custos financeiros de ficar um tempo no Brasil e depois voltar para a China. Não estou em um bom momento financeiramente, então, é importante ter mais controle", diz ele. O brasileiro conta também ter levado em consideração a dimensão do surto, em comparação com, por exemplo, a pandemia de gripe suína de 2009, que infectou dezenas de milhões de pessoas no mundo e matou mais de 200 mil. Até o momento, 1.874 pessoas morreram por causa do Covid-19, das quais a grande maioria na China continental. Apenas 5 mortes foram registradas fora do território chinês (uma morte na França, uma no Japão, uma em Taiwan, uma nas Filipinas e uma em Hong Kong), de acordo com dados da OMS. Isso indica que o vírus tem uma taxa de letalidade de 2,4%, bem abaixo dos índices de 10% entre os 8,1 mil infectados no surto de Sars e de 35% entre os quase 2,5 mil infectados na epidemia da Síndrome Respiratória do Oriente Médio (Mers), em 2012 — ambas causadas por outros tipos de coronavírus. Desde meados de janeiro, a OMS trata o surto do Covid-19 como a uma situação de emergência de saúde, decisão tomada por haver uma preocupação com a ocorrência de casos de transmissão entre pessoas fora da China e com o impacto que o vírus poderia ter em países em sistemas de saúde mais frágeis. "Em termos de números, esse vírus não é tão alarmante", opina Rodrigo. "Acho que existe um sensacionalismo que faz com que esta situação pareça ser maior do que realmente é. Coisas piores já aconteceram no mundo e não causaram tanto alarde. Se você parar para pensar, tem mais mortes por assassinatos no Brasil em um mês do que mortes pelo coronavírus no mundo inteiro." 'Basta ter paciência, cooperar com o governo e ficar em casa' Ele não sente estar correndo um risco ao permanecer em Wuhan, junto com uma dezena de outros brasileiros que fizeram o mesmo. "Basta ter paciência, cooperar com as ações do governo e ficar em casa para se manter a salvo." Ele conta que às vezes acabam alimentos perecíveis, como frutas, legumes e verduras. "Mas não é um problema, porque, antes da quarentena, dava para ir ao supermercado comprar e, agora, os serviços de entrega voltaram a funcionar e ficou mais fácil comprar." O potiguar diz que tenta manter uma atitude positiva e aproveitar o tempo em casa para pensar em novos projetos e aprender mais sobre a cultura chinesa e mandarim. "Minha vida é bem corrida normalmente, então, ficar em casa é um privilégio. Eu me distraio assistindo filmes, cozinhando, jogando vídeo game. Parece um feriado prolongado", diz Rodrigo. Ele diz estar confiante de que as medidas tomadas pelo governo chinês surtirão efeito. Sua expectativa é que, quando o frio passar, por volta de março ou abril, o vírus desapareça, mas diz que "ainda não dá para ter certeza" se isso realmente vai acontecer e de como será a vida em Wuhan após a epidemia. "Com certeza, vai ser diferente daqui em diante, mas vamos superar. A história mostra que, sempre que os chineses passam por uma crise, eles ficam mais fortes. O mesmo vai acontecer em Wuhan." Estudo feito pela China aponta que 80% dos casos de novo coronavírus são leves Initial plugin text

Texto completo




Links para esta postagem           Envie por E-mail  

Espiões russos são presos “investigando” cabos submarinos de internet

Agentes de inteligência da Rússia foram flagrados espionando cabos submarinos de internet que conectam a Europa à América do Norte, instalados na região litorânea da Irlanda, aumentando os temores de que possam interceptar os dados transmitidos por meio deles ou até mesmo cortá-los. A informação foi divulgada pelo Sunday Times, nessa segunda-feira (17).

Os serviços de segurança irlandeses acreditam que eles tenham sido enviados pelo Departamento Central de Inteligência da Rússia (GRU) com o objetivo de mapear a localização destes cabos de fibra óptica e verificar a estrutura deles, à procura de possíveis pontos fracos.

Leia mais...






Links para esta postagem           Envie por E-mail  

Internet quântica se aproxima da realidade com experimento chinês

Transmitir informação equacionando grandes distâncias com velocidade alta e curto período de tempo sempre foi um desafio em busca da internet perfeita. Uma equipe de cientistas chineses venceu mais uma etapa nessa direção ao enviar dados entre duas memórias quânticas a quase 50 quilômetros de distância.

O feito, registrado por pesquisadores da Universidade de Ciência e Tecnologia da China, marcou um novo recorde de distância no entrelaçamento de duas memórias quânticas. Se viável, o processo pode marcar o nascimento de um novo sistema de comunicação baseado em uma internet totalmente quântica.

Leia mais...






Links para esta postagem           Envie por E-mail  

Salão do Automóvel de Pequim é adiado por surto de coronavírus


Segundo organização do evento, adiamento foi feito para garantir a saúde e a segurança de participantes e expositores. Mercado chinês é o maior do mundo. Salão de Pequim 2018 Ng Han Guan/AP A organização do Salão do Automóvel de Pequim, na China, anunciou o adiamento do evento em razão do surto do coronavírus, que já matou mais de 1,7 mil pessoas no mundo. O evento aconteceria entre os dias 21 e 30 de abril. A nova data ainda não foi divulgada. Segundo comunicado do Comitê Organizador da Exposição Internacional de Automóveis de Pequim 2020, a decisão foi tomada para garantir a saúde e a segurança de participantes e expositores. Mercado chinês é o maior do mundo. O adiamento é só mais uma consequência do novo vírus para a indústria automobilística. Marcas como a Toyota paralisaram a produção na China. Fornecedoras de diversas fabricantes também interromperam suas atividades no país e seus componentes já começam a fazer falta em fábricas de todo o mundo. Veja a nota do comitê organizador: "Para garantir a saúde e a segurança dos expositores e participantes, nós, em nome do Comitê Organizador da Exposição Internacional de Automóveis de Pequim 2020 (16ª) (Auto China 2020), decidimos adiar o evento que foi inicialmente agendado para novos e antigos locais do Centro Internacional de Exposições da China (CIEC) em Pequim, de 21 a 30 de abril deste ano. A data reagendada será notificada separadamente. Pedimos desculpas pelo inconveniente causado pelo atraso e agradecemos sua compreensão. Obrigado a todos os expositores, parceiros e público-alvo por seu apoio contínuo à Auto China! Monitoraremos a situação da epidemia de perto e informaremos sobre o progresso organizacional da Auto China 2020 em tempo hábil." Initial plugin text

Texto completo




Links para esta postagem           Envie por E-mail  

China tem 1.870 mortes por novo coronavírus e 72,5 mil casos confirmados


Foram 98 novas mortes registradas desde o último levantamento, na segunda (17), e 1.893 novos casos confirmados. Criança usando uma máscara contra o coronavírus brinca em um scooter em Pequim, na China, nesta terça-feira (18). Tingshu Wang/Reuters O número de mortos na China por Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, chegou a 1.870 nesta terça-feira (18), informaram autoridades de saúde do país. Foram registradas 98 novas mortes desde o último levantamento, que indicava 1.772 vítimas fatais; entre elas está a do diretor de um hospital em Wuhan, que trabalhou no combate à doença. O total de casos confirmados na China ficou em 72.528, aumento de 1.893 em um dia. Fora do país, as autoridades chinesas afirmam que há 800 casos confirmados; na segunda-feira (17), eram cerca de 700. O maior foco da doença fora da China é o navio Diamond Princess, que está em quarentena no Japão desde o dia 3 de fevereiro e onde há 542 infectados. Destaques sobre o coronavírus desta terça (18): No Japão, o navio em quarentena registrou mais 88 casos confirmados da doença. O isolamento da embarcação está previsto para terminar na quarta (19). Cientistas chineses publicaram um estudo, na segunda-feira (17), no qual mostraram que 80% dos casos de Covid-19 são leves. O Salão do Automóvel de Pequim anunciou, também na segunda, que vai adiar o evento, marcado para o fim de abril, por causa do surto de coronavírus. O mercado chinês de automóveis é o maior do mundo. Initial plugin text Initial plugin text

Texto completo




Links para esta postagem           Envie por E-mail